terça-feira, 6 de novembro de 2018

Modernizando uma Citação

Pensar no país é penar no coletivo sem desconsiderar o individual. É como estar em um navio. Todos são importantes e todos devem ser incluídos. Incluir significa pensar o ser humano como um todo, sem desconsiderar suas habilidades e talentos. E que tem direito e deveres. Pois, se um não for incluído, pode significar um grande perigo para o navio. Mas, incluir não significa que se pode fazer o que quiser. Caetano Veloso disse: "E eu não tenho pátria: tenho mátria. Eu quero frátria."
Na época que o cantor disse isto talvez poderia ser interessante esta citação. Hoje enunciado poderia ser escrito assim: Eu quero pátria: tenho mátria? Precisamos de fátria!
Que tipo de país queremos daqui a 5 anos? Que tipo de país queremos daqui a 10 anos? E daqui a 20 anos? Não estamos preocupados com este tipo de planejamento, pois exige muita dedicação das autoridades e gestores. O que observamos é que existem dois grupos políticos que estão mais interessados em locupletar-se e nada mais. Fazem de tudo para que isto aconteçam.

domingo, 30 de setembro de 2018

Nova Constituição e Antigas Práticas

Estamos em uma época onde a estética é o que mais predomina na sociedade. A estética tem mais importância que a ética. E o que percebemos que a estética tem também mais importância que o conhecimento. Ética e conhecimento estão foram de moda. Com muito incentivo podemos esperar que a ética e o conhecimento fique em segundo plano. Mas, até o momento presente isto é só um futuro distante onde nem se percebe um faísca. Estão acreditando que a estética consegue resolver todas as demandas da nossa sociedade.
E como não há incentivo na ética e no conhecimento, então estes defensores da estética não sabem o que ela significa. E o pior é que não buscam conhecimento para isso e nem tem uma moral para exercê-la. Ética e conhecimento será um grande mistério, pois o conhecimento estético será o deslumbre forçado em nossa sociedade.
Além da estética o que mais se investe é na alienação. Todos os outros animais tem o instinto como diretriz de vida. Já nós seres humanos precisamos investir em nós mesmo. E é exatamente o que não está acontecendo na atualidade. O ser humano a deriva na vida deixa de ser e deixa de humanizar-se. E com a negação do desenvolvimento humano a violência se torna algo comum e até muito bem aceito.
Mas, o que vemos atualmente é que o incentivo a violência não é o suficiente para alguns.
Um político ou um partido que defenda uma nova constituição é desrespeitar o povo brasileiro. E quer ver as coisas piores, não para todo mundo, pois eles estarão a parte, serão uma exceção.
O discurso de uma suposta justiça social é ter a estética no discurso muito mais fortalecido do que o conhecimento e a ética. Na verdade eles não sabem o que é ética. Se soubesse o que é ética a corrupção seria algo isolado na sociedade dos políticos. Com tendência a zero. O que mais eles fazem é colocar a estética a serviço de suas ações. E o resultado são informações isoladas sem vínculo com a sociedade e o pior, acontece totalmente o contrário de seus discursos. Falam que é para o bem. Mas para o bem de quem? A resposta é muito simples. Para o bem deles e somente para eles.
Defender uma nova constituição atualmente é defender a corrupção, pois muitos corruptos irão fazer as novas leis. E como é a estética que tem mais valor mesmo não tendo valor por falta de conhecimento e ética. Estas nova constituição tem como objetivo fundamentar suas ações antiéticas. Privar a povo brasileiro de um real desenvolvimento. Temos exemplos em outros países onde esta tipo de prática foi implementada e o resultado é desastroso. A estética sem conhecimento é supérfluo, desnecessário. A estética sem ética é venenosa, destrutiva. 

sexta-feira, 21 de setembro de 2018

Arma de Fogo e o Lar

Não é segredo que a nossa sociedade está dominada pela violência. O segredo é como acabar com a violência. A questão principal da violência é quem fica com o ônus e quem fica com o bônus. Quem fica com as custas e quem fica com o custo. 
Muitas explicações estão a disposição, uns dizem que é uma questão genética, outros social. Ainda tem quem defenda que a violência é uma questão cultural. Também tem os que dizem que está relacionada ao capitalismo. Outros dizem que não se pode isentar o socialismos. Também deve-se considerar as ditaduras, liberalismo, neoliberalismo e até mesmo a social democracia. 
Mas, recentemente foi defendido o pensamento que o bulling também é uma forma de violência e que causa muito dano a vítima. E se causa danos a vítimas também causa danos a sociedade. Também temos que o assédio moral entre outros que também é um potencializador da violência. 
Atualmente, vemos que a corrupção é uma das formas de violência mais violenta que se tem conhecimento. 
Será que as pessoas gostam de ser violentas? Será que uma pessoa que pratica bulling na adolescência de alguma forma transforma esta prática em outra forma de violência? 
Hoje em dia está se debatendo se ter uma arma de fogo em casa é uma forma de se evitar a violência. Em alguns casos até pode resultar nesta demanda. Mas, deve-se considerar estes casos, pois não é toda residência que deve ter uma arma. E este é o grande problema.
Acredito que em um país onde a violência domestica é uma realidade presente e constante. Os índices de violência domestica são altos, permitir que armas de fogo estejam presentes neste cenário. Fará que a violência continue a crescer. 
Dizer que a violência domestica iria acontecer de qualquer forma é uma forma de se camuflar este problema na nossa sociedade. Um problema muito sério!
Existem muitas questões a ser consideradas em relação a autorização de se ter uma arma em casa. Pois, a pessoa terá que ter dinheiro para comprar uma arma e além disso terá que fazer um curso para poder usar uma arma. Aqui já vemos um problema muito sério, pois muitas pessoas não terão como custear este equipamento. E estarão vulneráveis ao criminosos. Pois, talvez estas pessoas moram em lugar mais violentos.
Neste momento não se deve passar por nossos pensamentos uma ação do governo como, bolsa arma, minha arma minha vida. Ou coisa parecida. Governo tem que combater a violência e não armar a sociedade. Considerar o voto uma arma é um amadorismo e também muita irresponsabilidade política.
Algum tempo atrás houve o desarmamento voluntário da sociedade. Só que este ações foi feita somente por poucas pessoas. Acredito que muitas pessoas não aceitaram e não participaram. Então hoje não se sabe que tem ou não tem arma de fogo em casa. E os bandidos também não. Mas, com a autorização de ter arma de fogo em casa e a necessidade desta autorização ser feita através de vários teste deixará ainda mais a sociedade a mercê da violência. Além, da violência domestica, quem protegerá aquela família que as pessoas não passaram nos teste e quem protegerá a família que não tem recursos para se investir em uma arma de fogo? Esta pergunta é a mais fácil de se responder. Pois, este seres humanos estarão dependendo de sua própria sorte.
E já que a arma tem um valor elevado e muitos não podem comprar, está o tráfico de armas a disposições destas pessoas. Será mais uma forma de se investir na violência. 
Muitos dizem que a família estará protegida. Mas, na verdade não estará, pois os ladrões poderão armar um emboscada, ou vir em várias pessoas para praticar a violência. E a arma será um imã para a violência. O único objetivo concreto da arma de fogo em casa é atrair a violência.
Não vejo como a arma de fogo irá inibir ou reduzir a violência. A violência é um tema muito complexo para se afirmar que uma arma em casa ajudará a resolver este problema. Uma casa com arma de fogo nunca será um lar. E um lar com violência nunca será uma casa. 
Leis devem ser revistas, isto é uma realidade. Pensamentos, falas e atitudes devem ser direcionadas a ética, isto é uma necessidade. E a educação uma prioridade. Mas, qual educação, você pode estar se perguntando. Aí a resposta é sua! 
  
   

terça-feira, 31 de julho de 2018

Desafios na Liderança

"Nenhum legado é tão rico quanto a honestidade." William Shakespeare

"O poder nas mãos de um irresponsável é um dano enorme. O poder nas mãos de uma pessoa sem ética é "um roubo"." Fabrizio Waler Milone
Sem aspas a frase é melhor.

quinta-feira, 26 de julho de 2018

Alcance da Liderança

Ser líder não é tarefa fácil. Os desafio são grande, mas a primeira coisa é querer ser líder. Tudo, pode ser considerado, começa com o desejo. Depois vem a vontade, é claro. Não existe liderança sem o líder se preocupar com o seu desenvolvimento pessoal. Para tanto metas pessoais devem ser uma constante em sua prática diária. Ler muito e se dar a oportunidade de aprender sempre é um quesito fundamental. Mas, não existe líder correto em uma empresa injusta. Uma empresa ruim, faz líder ruins, mesmo ele querendo ser bom. Quando isto acontece, o líder fica a merce da opinião misiricordial  de seus liderados. Um líder sem foco é pior que uma empresa ruim? Ou um líder com foco errado é tão prejudicial do que um empresa ruim? Perguntas importantes e de difícil percepção quem influencia quem, empresa ou líder.
Mas, vamos a ficção. 
Jindou era um líder de uma empresa. 
Um líder tem muitas obrigações. Ele tem que treinar seus liderados. Desenvolver argumentos para o liderado realizar sua função frente ao cliente. Ajudar a vender. Se preocupara com as atividades burocráticas. Ser um exemplo para seus liderados. E não deixar sua vida pessoal se misturar com a profissional. Tratar seu funcionário com muito respeito e tato. Não expor seus funcionários ao ridículo é o mais importante a ser feito. Principalmente se a empresa for ruim. 
Pois, o trabalhador, que atualmente é chamado de colaborador, e sendo que a diferença é só no nome. Tem alma e a alma é o mais importante parte do ser. Então é o que mais tem que ser respeitado. É a parte mais sagrada que um líder deve respeitar.
Jindou era um líder que estava preocupado quanto de dinheiro tinha no seu bilhete único, quanto tinha de crédito em seu celular. Até seu vale refeição foi investigado por ele.  Até deu um jeito de invadir seu e-mail para ver o que tinha lá. E o interessante é que tudo a mando de um outro líder que foi do meso setor. 
Então percebemos que ética passa muito longe das atitudes deste líder. 
Ele tem tantas coisas para se preocupar, mas fica se intrometendo na vida pessoal de um de seus funcionários. 
E não satisfeito começou a perseguir o funcionário expondo ele a situações vexatória. E usa como desculpa que está se preocupando com a qualidade da empresa e também que está treinado este funcionário. 
- Treinando para quê? Perguntou um outro líder.
Jindou respondeu:
- Ele está sendo desenvolvido.
- Mas, você perguntou para ele? Ele está sabendo? E ele quer ser desenvolvido por você?
- Não, respondeu ele. 
O outro líder falou:
- Ele tem que saber, e tem que autorizar, se não você além de não respeitar ele. Você está não está tendo ética.
Como eles estavam conversando em um lugar público, um senhor grisalho, de barba muito bem delineada e com um livro na mão falou:
- Vocês desenvolvem o ser humano. Muito bom, o mundo precisa disso.
- Mas, me responda, por favor, o que é desenvolver o ser humano?
Os dois se olharam e descobriram que não sabiam responder a esta pergunta. Mas, mesmo assim tentaram:
Jindou disse:
- A gente mete pressão nele. 
Kelole que influenciava muito Jindou disse eufórica:
- É mesmo, a gente fica de olho esperando um pequeno erro para esculachar o funcionário. E expor ele ao ridículo. 
O senhor olhou para o olho deles e disse;
- Isto não é ser líder, é ser sádico. 
Então eles procuraram se defender dizendo:
- Um empresa tem a responsabilidade de ajudar o colaborador a aprender.
Então o senhor disse:
- Defina o que é aprender?
Aprender é aprender disse um deles.
Com uma pequena risada intencional, o senhor com muito respeito disse:
- O processo de ensino e aprendizagem é algo muito complexo. E já que você dizem que evoluem as pessoas você precisam estudar mais sobre este processo. E te dou uma pequena dica, leiam livros a respeito. Psicologia do desenvolvimento é uma boa opção. São vários pensadores que postulam muitas de suas percepções interessantes de seus estudos. Pois, cada um tem a sua visão de mundo e de ser humano, pois a subjetividade é o que mais se encontra.
Não estacione sua leitura somente em Freud, Jung, Vygotsky. Considere também Erik Erikson, Valter Benjamim, Max Weber, Durkheim e Martin Buber. Na verdade tem mais
Não se faz um líder lendo historinha em quadrinhos e livros de auto ajuda. São leituras cujo objetivo está fora de alcance deste objetivo.
Tanto Jindou quanto Kelole agradeceram a explicação e saíram.
Jindou não entendeu muito bem o que este senhor quis dizer, mas uma coisa lhe intrigava, pois ficou interessando em o que é subjetividade. 
Já Kelole se intrigava com outra questão, o que é percepção.
Mas, o que realmente os dois não entenderam é o que é postular.


 


domingo, 8 de julho de 2018

O Dia-a-Dia de um Chefe

Um pouco de ficção é bom. É divertido e também pode ser também instrutivo ou esclarecedor. Mas, quase sempre é apenas uma estorinha.
Mr. Colinando morava em vilarejo muto bem localizado, pois ficava perto de um metrópole e do outro lado havia um grande lago. Muito utilizado para o lazer de várias pessoas inclusiva as pessoas que moravam na metrópole e pequenos comerciantes ganhavam seus sustentos lá. Também ao norte havia grandes montanhas que também era muito usada para quem gostava de alpinismo, ciclismo, parapente, asa delta e também para que gostava de acampar. E os hotéis do vilarejo também sempre estavam ocupados por esportistas e aventureiros.
O mrs. Colinando tinha um alto cargo em uma empresa. Era esforçado, sabia falar em púbico e estava sempre sorrindo. E conhecia muito bem seu negócio. E sabia fazer contas. Era um verdadeiro empreendedor. Muitos diziam que estava perdendo tempo, pois ele deveria abrir seu próprio negócio. Este era seu perfil público. Mas, estas pessoas não conheciam ele em momentos não públicos. Nestes momentos ele gritava com funcionários, xingava e até mesmo ridicularizava muitos. Ele exigia que fosse usado o termo colaborador e não trabalhador. Pois, segundo ele, trabalhador estava repleto de preconceitos e estigmas. Uma vez um colaborador questionou a mudança de termo, porque não houve aumento de salário, não houve aumento de benefícios e também não houve mudanças no trato com os funcionários. Ele não respondeu mas exibiu sua grande cabeleira e depois de algum tempo este colaborador foi mandado embora.
Ele como um grande chefe desta empresa, ele forçava os funcionários a fazer vendas casadas. E quem queria conservar seu emprego e continuar a ser trabalhador com o título de colaborador teria que fazer tal procedimento.
Só que um belo dia ele foi transferido de setor. O mrs. Colinando tinha um novo desafio pela frente. Era como se fosse uma outra empresa. Novas regras, novos funcionários, nova remuneração. Uma outra situação. E esta empresa dava um brinde que era retirado na empresa onde mrs Colinando fez a sua carreira. Mas, o precedimento imposto por ele continuava em vigor.
E quando ele descobriu que estava fazendo vendas casadas. Ele imediatamente ligou para a loja e fez o de costume, esculachou o responsável pela setor. Disse que era um absurdo este tipo de venda e que não era postura de um trabalho de qualidade. Ele soube puxar muito bem as cordinhas do líder em questão. Que também reproduziu muito bem o esculacho.
O mandamento era esculachai-vos uns aos outros. Atitude também imposto pelo mrs. Colinando.
Mrs. Colinando demonstrou como funciona o maquiavelismo na prática. Ele primeiro manda e depois rechaça que segue suas ordens. E até manda embora!
Também teve uma atitude antiética porque ele devia seguir a hierarquia da empresa, pois ele não era mais chefe deste setor. Deveria passar o caso para quem era de direito e não fingir que era chefe ainda de lá.
Mas, mrs colinando estava com um problema, pois neste caso não houve venda casada. E ele além de ser ignorante, maquiavélico e antiético, cometera um grande erro. E como ele poderia cometer este erro, pois se considerava o melhor chefe de todos os tempos. Então resolveu mandar clientes fingir que não era um cliente do outro setor para ver se pegava o funcionário praticando o que mrs. Colinando mandava. Mas, ele não era mais chefe de lá. E o entendimento de todos era não seguir os erros do mrs Colinando. Ele mandou vários cliente fazer isto, mas mrs. Colinando já estava ultrapassado!    

terça-feira, 8 de maio de 2018

A Culpa É Sua

O dia era igual a outro qualquer. Os pássaros cantavam, os cachorros latiam. E o vento soprava uma brisa que ninguém sabia de onde vinha. Esta brisa era muito suave era como um acareciar com luva de pelica.
Fazendo o de costume, de repente, o chefe disse:
- Você quer ir ao jogo de futebol com direito ao camarote?
E foi perguntado:
- Quem for vai ter direito a quitutes?
- Sim, respondeu o chefe todo empolgado.
E o chefe tinha mais uma surpresa, pois além dos quitutes também poderia ir e levar um acompanhante.
Que legal ele disse e já começou a fazer uma lista de que ele convidaria.
Mas, a grande dúvida é quem iria gostar dos quitutes. Pois, só poderia levar um paisano.
Também o chefe disse:
- O jogo será amanhã. Uma limozine está esperando você as 18 horas no grande local chique. O local onde para todas as vans.
O dia chegou e os dois foram até o local planejado. Muitos obstáculos apareceram no caminho para impedir que esta grande missão fosse realizada. Transito, sistema fora do ar, conta para pagar...
Mas com muito esforço chegaram ao local as 17 horas e 45 minutos.
Mas, tinham que descobrir o local secretos onde para todas as vans.
Perguntaram para todos e ninguém sabia da limosine. O segredo estava justamente nisso, o local só era chique se a limosine estivesse lá. Só assim o local deixaria de ser secreto. Mas, o tempo estava passando e o local secreto estava mais secreto do que antes.
Então o chefe foi acionado. Um relato minucioso foi feito. Pois, o que o chefe poderia fazer?
Alomosine encantada não apareceu. E foram embora. Pensaram em um plano b, mas a única alternativa era voltar.
No outro dia o chefe disse:
- A culpa é sua. Você deveria ter ido até o local mais cedo.
Mas, eu estava lá antes do horário.
- Não interessa, a culpa é sua.
- Eu perguntei para todos, polícia, bombeiro, escoteiro e presidente da república e ninguém sabia de nada.
Até para os transeuntes eu perguntei e ninguém sabia de nada.
- A culpa é sua, disse o chefe.
- Se eu chegasse mais cedo e ligasse para você. Você iria mandar eu esperar até as 18 horas. Não mudaria o fato que o carro não estaria lá.
- Não mude as coisas, você deveria estar lá mais cedo. A culpa é sua.
Desta vez até alterou a voz para um tom mais alto.
- Mas se quando combinamos que um encontro deve ser as 18 horas. Deve-se esperar no mínimo até as 18 horas e até dar uns 15 minutos de tolerância.
- Não, disse o chefe. Você é culpado por chegar no local antes do horário e deveria chegar mais antes ainda.
O chefe é chefe porque pode colocar a culpa em quem quiser? Pensou, mas a conclusão é responder a pergunta: O que o chefe poderia fazer? Muitos dirão:
- Nada.
A pergunta correta não é o que o chefe poderia fazer. Mas, a pergunta pertinente era:
O que o chefe escolheu fazer?
A única conclusão era:
O chefe escolheu defender o erro e as atitudes antiéticas. Negando o verdadeiro desenvolvimento humano.
 Fazendo da vida um local mais feio e difícil de viver. Obscurecendo ao ser humano a participação ativa na vida. Com este tipo de chefia o ser humano nunca vai ser especial, único e importante.